Uma franquia boa!


Uma franquia boa é aquela que ouve seus franqueados. Mas o que isso tem haver com o direito ? A resposta é "TUDO". A ideia de que o Know-How é HOJE o que já foi no passado é retrógrada e "outdated".

Na verdade, no mundo de hoje, a informação e a inovação viajam em velocidades quase que inalcançáveis. Portanto, o modelo de negócio de ontem, que funcionava perfeitamente, hoje pode ser um total fracasso. Uma estratégia de vendas de hoje pode ser ridicularizada amanhã.

O conhecimento de determinado segmento de mercado não é mais, como fora no passado, algo estático ou de evolução lenta.

Portanto Know How, que deve ser transferido do FRANQUEADOR a seus FRANQUEADOS, deve ser objeto de constante atualização.

Algumas franquias acreditam que o seu "core model" de 2002 ainda prosperará nos dias de hoje, e se recusam a mudar o modelo de seus negócios.

Veja bem, uma franquia de Ensino de Idiomas por exemplo é detentora de um método de ensino. Não estou sugerindo que esse método se altere anualmente. Nada disso.

O que quero propor os leitores a pensar é que o "sistema" desenvolvido pela FRANQUEADORA deve ser atualizado conforme a velocidade das alterações dos valores sociais.

Agora, vamos trazer ao campo do mundo jurídico:

Um contrato de franquia só é um contrato de franquia mesmo se respeitar 3 requisitos:

a) Pagamento

b) Transferência do uso da Marca

c) Transferência do Know How

E é nesse terceiro item que gostaria que você, leitor, focasse neste momento.

Ora, se os valores comprados pelos consumidores mudam em uma velocidade incrivelmente alta. Se os valores consumidos ontem não são mais os mesmos de hoje, como é que o SEU FRANQUEADOR está te transferindo esse know how, se "as ofertas, o modelo e a estratégia do seu franqueador são as mesmas desde a década de 90" ?

A resposta é: ELE NÃO ESTÁ.

O Know-How é transferido através de uma assistência continuada ao FRANQUEADO, porquanto durar o contrato. Ou seja, a transferência de KNOW HOW é um SERVIÇO PRESTADO AO FRANQUEADO PELO FRANQUEADOR.

Um bom serviço de consultoria só pode ser bem fornecido se todas as nuances do negócio são levadas em consideração.

Para que possamos afirmar que um franqueador está de fato transferindo o seu Know How, ele precisa OUVIR SEU FRANQUEADO, compreender as diferenças do público de cada franqueado e prestar-lhe um serviço de consultoria eficaz que atenda às especificidades de cada região.

Assim, posso concluir a seguinte linha de raciocínio:

Franqueador me ouve > compreende meus desafios na ponta (franqueado) > aplica sua experiência ao problema > desenvolve soluções > ganha mais conhecimento > ajuda outros franqueados.

Franquia boa é aquela que ouve seus franqueados.

Advogado Franquias


Lucas Costa - Advogado, professor, consultor e franqueado.
foto site.jpeg